Atualização de Versão – Protheus 11 – Execução

Este novo artigo sobre a atualização de versão para o Protheus 11 explicará quais os procedimentos técnicos devem ser executados para que toda estrutura existente no Protheus 10 (ou anterior) seja atualizada para o Protheus 11. Conheça a seguir as rotinas que devem ser executadas e dicas para correção de eventuais problemas. 

Os procedimentos a seguir devem ser executados por profissional que tenha conhecimento técnico do Protheus e deve ser feitos em ambiente de testes totalmente separado do ambiente oficial, de forma que eventuais problemas na atualização de versão não afetem o dia a dia da empresa no Protheus 10.

Antes de iniciar a atualização de versão, tenha os seguintes itens em mãos:
  • Cópia do ambiente do Protheus 10 (banco de dados e aplicação);
  • DVD com o Instalador do Protheus 11;
  • Arquivos para atualização do Protheus 11. Os arquivos deverão ser dos binários (appserver e smartclient), repositório (RPO, updates e pacthes mais atuais), dicionários (arquivo SXSBRA.TXT), arquivos de help (hlppor.txt, hlpeng.txt e hlpspa.txt, para os helps em português, inglês e espanhol, respectivamente) e DbAccess. Os arquivos podem ser baixados no portal da Totvs.
Tendo os itens acima disponíveis, vamos ao passo a passo para atualização de versão propriamente dita:
  • Criação de ambiente do Protheus 10: Este ambiente deverá ser na versão 10 mesmo, pois antes de iniciar a migração em si, deverá ser feita a checagem de duplicidade das tabelas;
  • Checagem de chaves duplicadas no Protheus 10 (Check Unique): Para executar a rotina, grave o arquivo SX2.UNQ (ele vem junto com o arquivo SXSBRA.TXT) dentro do Rootpath do Protheus e inclua a rotina CHECKDUPL no menu do Configurador. A rotina deve ser executada em cada uma das empresas cadastradas no Protheus (mesmo as inativas, se pretende migrá-las). Não entrarei nos detalhes sobre correção de problemas encontrados por esta rotina, devido às variações de tabela para tabela;
  • Criação de ambiente do Protheus 11: Após a identificação e correção de eventuais chaves duplicadas, instale o Protheus 11 e atualize com os dados baixados do Portal da Totvs;
  • Cópia dos dados do ambiente do Protheus 10 para o Protheus 11: Aponte o servidor do Protheus 11 para utilizar o mesmo banco de dados do Protheus 10 criado no primeiro passo e copie o conteúdo da pasta system do Protheus 10 para a pasta system do Protheus 11. Dica: faça um backup deste ambiente, pois se ocorrer algum problema no próximo passo, você não perderá tanto tempo refazendo os primeiros passos;
  • Acesso ao compatibilizador de versão: Após a preparar o ambiente, execute o Smartclient do Protheus 11, chamando a rotina MP710TO110 como programa inicial, conforme apresentado na figura abaixo;
Atualização de Versão - Protheus 11 - Configuração do Smartclient

Configuração do Smartclient

  • Configuração do MP710TO110: Ao iniciar a rotina de compatibilização, é solicitada a  senha do Administrador do Protheus para continuação do processo. Existe a opção de fazer apenas uma simulação da atualização de versão. Pessoalmente, já tive problemas com esta opção e acabei me acostumando a executar diretamente o compatibilizador. Após escolher a partir de qual versão será feita atualização (é possível atualizar a partir da longínqua versão 7.10), será mostrada a tela de configuração da rotina, conforme a figura abaixo. Nesta imagem, coloquei as configurações que costumo utilizar e que facilitam a análise do log da atualização. Basta avançar e iniciar o processo de atualização de versão propriamente dito;

    Atualização de Versão - Protheus 11 - Configuração da MP710TO110

    Configuração da rotina MP710TO110

  • Análise do Log: Geralmente a primeira execução da rotina MP71TO110 é interrompida após a verificação de integridade, devido a inconsistências nos dicionários de dados. Não se preocupe, pois alguns destes problemas já existem até em versões 100% padrões do Protheus 10. Para identificar o que deve ser corrigido, acesse o MPSDU deste ambiente, abra o arquivo MPUPDLOG.LOG (ele está na pasta system e em formato CTREE) e, usando a opção Copy To, converta para o formato DBF. Neste formato, é possível abri-lo pelo Excel. Filtre os registros que contenham a coluna E_TYPE igual a 4, que são os Critical Errors que impedem a atualização. Com base nesta lista, efetue as correções necessárias e execute novamente a rotina MP710TO110. Dica: antes de executar novamente a rotina, apague os arquivos MPUPD.TSK e MPUPDLOG.LOG, que estão nas pastas APPSERVER e SYSTEM, respectivamente. Desta forma, o sistema irá começar a atualização do zero, gerando novos logs. Caso a compatibilização tenha ocorrido com sucesso, é importante analisar o log para identificação de ocorrências que, apesar de não impedirem a compatibilização, possam trazer problemas no uso do Protheus 11;
  • Compatibilização de Menus: Após a conversão do ambiente para o Protheus 11, é importante agregar as novas funcionalidades do Protheus 11 ao menus dos usuários. Como esta atividade pode ser bastante trabalhosa em ambientes maiores, minha sugestão compatibilizar apenas os menus do Administrador (arquivos SIGAxxx.XNU, onde xxx é a sigla do módulo) ou de usuários com acesso completo a cada módulo. Eu costumo efetuar a compatibilização usando como base o menu padrão da versão 11 e adicionando as rotinas específicas da empresa para o módulo. Tenho por hábito deixar estas rotinas em uma pasta separada dentro de cada opção do menu (Atualização, Consultas, Relatórios e Miscelânea), com o nome Específico XXX (colocando o nome da empresa no lugar de XXX). Isto ajuda em futuras atualizações e no suporte, já que fica evidente quando o usuário está acessando uma rotina padrão ou específica;
  • Configuração de serviços de transmissão de NFe: Após a migração, é importante instalar e configurar o TSS, para que possam ser feitos os testes de transmissão de NF-e e CC-e. A instalação e configuração pode ser feita seguindo os boletins da Totvs;
  • Revisão e compilação de programas específicos: Os programas específicos da empresa devem ser revisados (especialmente para tratamento de índices específicos que tiveram sua ordem alterada) e compilados no ambiente de homologação do Protheus;
  • Disponibilização do Protheus 11 para homologação pelos usuários chave: Com a conclusão da preparação do ambiente, o Protheus 11 pode ser disponibilizado ao usuários para homologação da nova versão. Para este processo, é importante ter controle do que está sendo testado, como a planilha de controle de testes que comentei no artigo sobre o Planejamento da Atualização de Versão;
  • Elaboração de procedimento técnico da atualização de versão: Na execução da atualização de versão, acredito que a criação de um procedimento com tudo que foi feito em ambiente de testes ajuda muito a dimensionar o tempo da atualização em ambiente oficial. Com base no tempo gasto na atualização em ambiente de testes, é possível saber se a atualização em ambiente de produção poderá ser feita  em uma noite, num final de semana ou se precisará de mais tempo, como um final de semana prolongado. Eu costumo criar o procedimento durante a atualização em ambiente de testes, anotando inclusive os tempos de execução de cada fase da atualização.

E você, tem alguma dúvida sobre este processo? Costuma seguir algum procedimento diferente e gostaria de compartilhar? Escreva nos comentários deste artigo e compartilhe suas experiências conosco.

6 ideias sobre “Atualização de Versão – Protheus 11 – Execução

  1. Zanetti, Boa Noite

    Tenho meu banco de dados do Sped (NF-e) Separado, como devo proceder nesse caso, levando em consideração que a estrutura da versão 11 é diferente, ou estou enganado?

    Desde já agradeço.

    • Ricardo, bom dia.

      Durante a execução do MP710TO110, não se preocupe com isso. Mas após executá-lo, reconfigure o TSS e acesso ao banco do SPED na 11 antes de executar os compatibilizadores na 11 (especialmente o UPDSIGAFIS). Assim, se ele precisar alterar algo no banco do SPED, a conexão com este banco estará ativa.

      Att

      Marcos Zanetti

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>